segunda-feira, 18 de maio de 2015

O bem obtido pelas tentações - John Welch

0 comentários
1568 – 1622

No demais, irmãos meus, fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder.
Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo.” [Efésios 6:10-11]
“…Primeiro. Através das tentações Ele vos fará confessar os pecados da mocidade, assim como fez Jó, os quais de outro modo amais vos lembraríeis nem vos arrependeríeis deles. Pelas tentações, portanto, Ele os traz à vossa memória, fazendo-vos lamentar por eles, e não vos dará descanso até que alcanceis remissão. Pois se não tivésseis conhecimento deles nem tivésseis vos arrependido deles, jamais teríeis experimentado perdão. Porque sem conhecimento não há lembrança, sem lembrança não há arrependimento e sem arrependimento não há remissão ou perdão. E, a menos que sejais perdoados nesta vida, jamais vereis a vida eterna. Portanto, ao vos fazer lembrar dos pecados da vossa mocidade, o Senhor visa nisso ao vosso bem-estar.
Em segundo lugar, o Senhor permite que pelas tentações vejais em vós um mundo de iniquidades, que vejais que dentro de vós á pecado suficiente para condenar um mundo inteiro, quanto mais a vós mesmos que sois apenas um único indivíduo. Pelas tentações, portanto, o Senhor traz à tona os monstros secretos que estão à espreita em vossos corações, e que vos devorariam de imediato, se lhes fosse permitido.
Em terceiro lugar, pelas tentações o Senhor permite que vejais a amargura do pecado que provoca a ira de Deus contra vós, e que, ao contemplardes isso, tenhais o cuidado de não vos precipitardes novamente no fogo, recalcitrando contra os aguilhões, e vos lançardes nas mãos de um Deus irado, que é um fogo devorador.
Em quarto lugar, sem as tentações não seria possível manter os vossos corações humildes, e se não tivésseis sido objeto de tantas graças estaríeis inchados e inflados de soberba. Se não fossem as múltiplas tentações que Deus envia adrede, o orgulho vos tragaria, pois as tentações são como fissuras no coração que deixam vazar por elas a ventosidade do orgulho.
Em quinto lugar, pelas tentações Deus fará com que os homens tomem conhecimento de suas próprias fraquezas para que, ao contemplarem as suas iniquidades, possam colocar a sua confiança somente em Deus, e para que possam ver que é somente pela graça que conseguem permanecer de pé, e para que, ao caírem, vejam que caíram por causa de si mesmos; nisso são ensinados a renunciarem ao ego e a colocarem a sua fé e confiança somente em Deus.
Em sexto lugar, se não fosse pelas tentações apodreceríamos em nossos pecados, nem sequer nos cingiríamos da nossa armadura e adormeceríamos com o resto do mundo. Assim é, portanto, que o Senhor nos manda as tentações com o propósito de nos manterem alertas e despertos, para nos fazerem tomar e usar a nossa armadura e para purificarmos diariamente os nossos corações pela fé no Senhor Jesus Cristo.
Em sétimo e último lugar, é pelas tentações que Deus multiplica sobre nós a Sua graça e diz: “meu poder se aperfeiçoa na [tuafraqueza”. Deus não permitirá que sejamos tentados além das nossas forças, pois assim como se renovam as batalhas, a Sua graça também se renova em nós, e é com esse propósito que Ele faz isso: para que possamos ver que as graças do presente são apenas suficientes para cada dia. Portanto, precisamos diariamente da graça fortalecedora e corroboradora, que nos faça crescer diariamente em graça até que alcancemos a perfeição, que não é nesta vida. São essas a maioria das razões pelas quais o Senhor permite que os Seus sejam tentados enquanto estão nesta vida.”…
___________________________________________________________________
John Welch – The Christian Warfare (A Batalha Cristã)
Tradução – Isaías LobãoFonte – Monergismo

Leave a Reply

Apresentação do 'Prática da Piedade'

O testemunho da Escritura é de que a Piedade é proveitosa para todas as coisas, residindo nela a promessa da vida que é, e da vida que há de vir [cf. 1 Timóteo 4:7,8].

E o que é Piedade?
É a qualidade de uma determinada prática de vida relacionada a Santidade pessoal, contrária às paixões carnais e mundanismo [Tito 2:11-13; 2 Pedro 3:10-12]. A palavra no original Grego do Novo Testamento, traz consigo o significado de uma ordeira e boa resposta do coração em reverência ao Senhor Deus. Uma outra forma de definir Piedade é descrevê-la como uma atitude pessoal para com o Senhor Deus, na forma de uma vida cujo objetivo é honrá-lO e agradá-lO.

A Piedade é proveitosa para a vida agora, conduzindo-nos em Cristo para toda a paz para com Deus, que nEle se pode receber; regozijo no Senhor, em nosso espírito, com todo prazer e alegria em Deus, nosso bom Pai e Salvador; contentamento para com os atos da Providência do Senhor. A Piedade não nos conduzirá a prosperidade, boa reputação, amigos, saúde ou tranquilidade - nada disto é prometido para o Piedoso; mas, quão maior é a felicidade de sabermos que o Piedoso será ouvido pelo Senhor em suas orações, e terá alegria nEle desde agora e para sempre! Na Piedade há promessa e esperança, de Cristo, em quem se esconde a vida do Crente, de estar unido com Cristo agora e por toda eternidade.

Nas palavras de Thomas Watson, "Como a jóia está para o anel, assim a Piedade está para a alma, ornando-a aos olhos de Deus. A Razão nos faz humanos; a Piedade nos faz anjos sobre a Terra; pela Piedade nós 'tomamos parte da natureza Divina' [2 Pedro 1:4]. A Piedade é mui próxima da glória: é 'glória e virtude' [2 Pedro 1:3]. A Piedade é a Glória em forma de semente; e a Glória é a Piedade em flor."

Assim, cremos, está mais do que justificado nosso desejo e obra em dedicar este Blog a tudo o que for útil e exemplar para nos exortar e dirigir na Prática da Piedade. Oh, Senhor, ajuda-nos, sustenta-nos, guia-nos e frutifica este trabalho!

Teologia e Pregação Reformada Experimental

O que é Teologia e Pregação Reformada Experimental? Muitas vezes chamado de Calvinismo Experimental ou Calvinismo Experiencial, se refere a uma tal forma de religião, construída sobre a Escritura Somente, fundamentada em Cristo Jesus, na qual, buscando-se incessantemente a Glória de Deus em todas as coisas, se testa ou prova, se exercita no conhecimento prático de toda Doutrina Bíblica. Entendemos que há uma vital relação entre a Teologia Prática e a Piedade; como a Escritura diz, é desejável e há regozijo e benção no exercício do Conhecimento da Verdade que é segundo a Piedade [Tito 1:1].

Tópicos

 
A Prática da Piedade © 2011 DheTemplate.com & Main Blogger. Supported by Makeityourring Diamond Engagement Rings

You can add link or short description here